sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Emigration #1

Dada a quantidade de gente à minha volta que tem emigrado nos últimos tempos - e que eu aqui tenho referido - vou criar aqui uma nova rubrica para nossa estatística. Como já foram muitos e não me lembro já de todos, vou basear-me nos últimos 2 que me lembro e nos 2 novos que soube esta semana.

Ora então, há cerca de 2 ou 3 semanas postei aqui que havia um elemento próximo de mim que ía para Inglaterra. Outro houve entretanto que vai para a Bélgica.
Hoje soube de mais 2 que nos vão abandonar, em que um vai para Inglaterra e outro para França.

Sendo assim, temos o seguinte resumo:

- Bélgica: 1
- França: 1
- Inglaterra: 2

E até ao próximo report :)

3 comentários:

akombi disse...

Amanhã embarca para Angola um amigo da adolescencia, a mulher por agora fica cá é bancária mas diz que o BPI vai fechar balcões fazendo um despedimento no inicio do ano que vem de cerca 600 funcionários.

Tb o antigo patrão do marido esteve em Angola mas já regressou, ele na área da construção diz que aquilo já não dá, as pessoas imaginam uma coisa mas a realidade qd se chega lá é outra.

Tb temos um casal nossos cliente que anda ora o marido ora ela no Brasil, ela engenheira ele ligado a uma empresa de eletricidade e afins mas tb dizem que é um engano está saturado a nível laboral mas sempre vai dando para irem ganham algum dinheiro visto que aqui as áreas deles não tem trabalho.

Pessoalmente acho mal saírem, faz-me lembrar os ratos que qd o barco afunda são os primeiros a abandonar mas acabam tb por morrer quem fica ainda pode lutar basta não perder a esperança e acreditar.

Francesca disse...

Sim, tens certamente muita razão. Há gente que se dá bem, mas tb há muita gente que se dá mal

Ana Rita disse...

Também fico triste por perceber que muitas pessoas preferem emigrar. Mas, vão em busca de sonhos, em busca de uma vida melhor. Tiro o chapéu, pois não tenho essa coragem. Se calhar, porque também ainda não passo por grandes privações. Mas, quando penso nisso, tenho medo. Medo porque não sei como reagiria longe da família, num país estranho, com (ou não) um idioma estranho, hábitos e costumes diferentes, clima e condições diferentes. Enfim, é preciso muita coragem!