quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Gostava de ter sido eu a fazer isto....


Cherne em espuma de caril com risoto de espargos.

Mas infelizmente não fui eu que fiz, nem faço ideia de como se faz. Com este prato fui ao céu e vim, principalmente a cada garfada do risoto que era, simplesmente, orgásmico. Tão, mas tão bom, que qualquer adjetivo será fraco para o descrever.
Podem comê-lo no restaurante ViaGraça que deve ser, muito provavelmente, o restaurante com a melhor vista sobre a cidade de Lisboa. Realmente, não é mesmo à toa que Lisboa é uma das mais belas cidades do mundo. Atributos mais que justos. Na foto aqui de baixo (que tem baixa qualidade pois a janela fazia reflexo), dá para vislumbrar um pouco do que pode ser apreciado.
Sem dúvida um dos melhores restaurantes a que já fui. Não foi barato, mas a comida e a vista compensaram grandemente cada tostão. Vale mesmo a pena. 



quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Somos tão pequeninos

Acho um piadão à malta que, agora de férias, deixa sempre os emails automáticos de out-of-office completamente em inglês.
Ainda que 99,9% dos contactos que tenham via email sejam em português, convém sempre mostrar a via linguística, e dar a entender uma possível relação profissional com o mundo.
Somos tão pequeninos, tão pequeninos que dá dó!
E eu cada vez mais tenho vontade de botar boca fora tudo o que me vai na alma. Estilo Marinho Pinto (ou agora Marinho e Pinho não sei bem) ou estilo Alberto joão Jardim. Eles é que a sabem toda!!!!

39

kredo, já são tantos!
Que horror! Para o ano parece que tenho de mudar a descrição que tenho no meu perfil do blogger.
...Mulher na casa dos 30....pois
Aproveita que é o último!
Bahhhhh!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Às vezes sinto-me a pior mãe do mundo

E acho que, por vezes, sou mesmo.
Mas as crianças levam-nos ao limite, e limites, é coisa que sempre tive muito curtos no que à paciência diz respeito.
Mas como agora estou a ler o livro da Sónia Morais Santos que diz que a culpa não é sempre da mãe (E oh céus, como me identifico com tanta coisa que lá está), percebo que não sou a única.
Hoje passei-me! Acho que ía tendo um colapso. E a juntar ao facto de hoje me apetecer dormir até acordar só depois de amanhã...deu uma mistura explosiva. A minha filha ainda me pediu desculpa, mas eu só fui capaz de lhe dizer que não sabia se a conseguia desculpar para já.
É assim! Às vezes também faço birras e amuo. Estou a dar um belo exemplo. Pode ser que, com um bocado de sorte, não crie filhos atormentados e traumatizados com as atitudes da mãe. Vou fazer figas e enfiar-me na cama.
Até amanhã (ou só depois de amanhã), não sei bem.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Que susto!

Há pouco, na sala de espera do dentista, entra um homem ao telefone atrás de mim. Não liguei, mas ouvi a conversa, que o senhor não se privava de ter toda a gente a ouvi-lo:
- "Oh Maria (nome fictício), diga-me lá o que é que eu tenho na agenda para dia 22. Ah..então veja-me o dia 23..."
Achei logo que, para ter secretária, era gente importante. Resolvi olhar para trás, e tive de olhar duas vezes para ter a certeza. É que tinha atrás de mim, nada mais nada menos que o nosso querido ex-ministro Miguel Relvas. Parece que também se preocupa com os seus dentes.
Vocês podem não acreditar, mas fiquei logo irritada só de ter aquele rápido vislumbre. Tinha o telemóvel na mão e ainda pensei mandar-lho às trombas, mas depois tive pena do meu telemóvel que ainda se estragava em tão ignóbil ser.
No instante seguinte, a senhora veio chamar-me para a minha consulta, pelo que o meu fugaz encontro com aquele senhor acabou. Depois, ainda tive dúvidas se seria ou não ele, mas se não era, era um sósia com certeza.
Blhac....

E pronto!

Dia de chuva + 1º dia de aulas para a maior parte das crianças = caos!!!
Mas porque é que mal Setembro abriu a porta, começou logo a entrar água? Porquê? Não bastou o inverno, primavera e triste e pequeno verão que tivemos? Não?!?!
Raios, pá!

sábado, 13 de setembro de 2014

Bebel Bistro

Hoje foi dia de nos perdermos em mais um brunch lisboeta. O local escolhido foi o Bebel Bistro logo abaixo da escadaria da Assembleia da República. Fiquei com a pança cheia de tanto comer. Um buffet variado cheio de coisas boas. Um sumo de frutas naturais delicioso, e uma esplanada que, embora pequenina, era muito agradável. O atedimento foi um cadito pr'o baralhado, mas nada de grave.
Valeu a pena sim senhora :)



sexta-feira, 12 de setembro de 2014

A memória é tramada!

Ou melhor, a falta dela!
Hoje, no mesmo sítio, passaram por mim 2 pessoas que eu tenho a certeza absoluta que já os vi noutros contextos, e por diversas vezes.
E por mais que puxe pela cabeça (ou pela memória), não me consigo mesmo lembrar. Pode ser que daqui a uns dias, assim do nada, acorde com a resposta.
Já não seria a primeira vez. A última vez que isto me aconteceu, eu bem que puxei pela cabeça. E puxei com força. Até que desisti. Depois, assim do nada, um dia acordei e percebi que a mulher que passava por mim várias vezes na escola dos meus filhos, e da qual já tinha até ouvido algumas conversas em ambientes comuns que frequentávamos, era nada mais nada menos que....tcharan..... a assistente do meu dentista carrasco que me arranca os sisos.
Mas nesse contexto ela está de bata, e dá-me comprimidos, e ordens, e gelo para a cara não inchar. E vai-se a ver...e tem o filho ou filhos na mesma escola que os meus. É assim!
Este mundo é uma casinha mesmo muito pequenina. Por isso, agora já não tento puxar muito pela memória. A resposta há-de aparecer, naturalmente!

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

13 anos depois

E continua a ser impossível não referir o tema.
O dia em que o mundo mudou, e a mesma incredibilidade cada vez que vejo as imagens.
Foi um verdadeiro filme de terror tornado realidade. Aliás, tenho a certeza de que, a ser um filme, seria um verdadeiro arrebatador de bilheteira. E grande candidato a óscar também.
Mas infelizmente para todos nós, não se tratava de filme nenhum, numa realidade feroz que se sobrepôs a qualquer bom senso para a humanidade.
E por isso, nunca é demais lembrar quem perdeu a vida neste terrível dia.


quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Sentimento positivo do dia

Esta água toda há-de servir para me lavar o carro, que está sujo (por fora) que nem um grande porco numa grande pocilga!!!!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Resquícios do passado

É engraçado como já não é a primeira, nem a segunda, nem a terceira vez que me deparo com esta realidade, e sorrio, para mim mesma. Com a realidade dos homens que eram rebeldes em adolescentes, mas que se tornaram trabalhadores e responsáveis (ou pelo menos parecem). Passo a explicar: Já por várias vezes reparei (porque se encontram ao pé de mim, não é que sinta particular interesse neste pormenor), que há umas quantas orelhas de homens furadas...mas sem brinco nenhum. Os resquícios do passado, da rebeldia, do querer parecer cool e adequado às modas da altura, mas que deixam marcas permanentes porque nunca desaparacem. E acho piada, porque os vejo todos engravatados, sérios e a parecerem grandes homens de família e de negócios, deixando adivinhar o que se passava aos 16, 18 anos. Sim, porque na minha altura, os rapazes que tinham brinco eram rebeldes. Eram! E fumavam e normalmente tinham muita autoestima, e miúdas, e tal, e tal.
Nas tatuagens passa-se o mesmo, mas a moda evoluiu para uma dimensão muito maior, e ainda assim podem esconder-se e serem vistas apenas em época balnear. Agora o brinquinho....sendo mesmo brinco e não piercing que pode andar em qualquer lado...é na orelha que deixa a marca. E não desaparece!
O último que vi foi na escola dos meus filhos. Tinha dois buracos na orelha (g'anda maluco!), e depois estava ali calminho, a tentar controlar o filho, de óculos, fatinho e gravata, e todo atrapalhado no meio da criançada. Ri-me mesmo para dentro. Engraçado como a adolescência é mesmo tramada! E como as pessoas acabam por mudar, acho eu, essencialmente a partir dos 30, tornando-se aparentemente cidadãos exemplares e amadurecidos!

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Marcos da vida

Hoje fui levar a minha bebé, a minha menina pequenina, a minha princesa, a minha bonequinha ao seu primeiro dia de escola a sério. A minha filha, por muito que me custe ver o tempo a passar, entrou para o 1º ano. Meu Deus! Lá foi ela, de mochila puxada pelo braço, abraçar o seu novo (e primeiro grande) desafio da vida: O ensino! que a bem dizer, não a largará durante muitos e bons anos (assim espero).
Passei o dia todo ansiosa a pensar nela. Se estaria bem, se estaria feliz com o dia que já esperava há algum tempo, se sentia saudades das férias e do pré-escolar.
Fartei-me de trabalhar durante o dia, produzi bastante, mas nunca deixei de pensar nela. Fui a correr buscá-la quando chegou a hora, e lá estava. Ela com mais 3 meninos (parece que os Pais dos outros resolveram todos ir buscá-los mais cedo), e lá veio a correr para mim. Minha menina! Está a fazer-se à vida, é o que é!
Que gostes da escola e de estudar, que te vai ser muito útil pela vida fora.
Boa sorte minha fofinha!


domingo, 7 de setembro de 2014

Intolerância tabágica

Sempre detestei levar com fumo de tabaco. Talvez isto seja um lugar comum para quem não fuma, mas sempre me tirou do sério ter de levar com as consequências dos vícios dos outros. Estas férias, percebi que me tornei completamente intolerante ao fumo. Tolerância 0 mesmo. Na praia, na piscina, em lugares completamente abertos como esplanadas ou espaços na rua, não suporto mesmo qualquer resquício de fumo. Desabituei-me completamente e, quando estou um pouco constipada, não consigo nem sentí-lo ao longe, que me deixa completamente desaustinada. Ontem, passei em zapping pelo Sócrates que balbuciava umas tretas na RTP, e lembrei-me que foi ele que me acabou com um dos meus tormentos. Olho para ele e vejo um aldrabão, um criminoso, quase um monstro. Mas tenho de reconhecer que foi quem me permitiu passar a ir a um café e não vir de lá a cheirar a tabaco por todo o lado. Que me permitiu trabalhar num escritório sem me tornar numa fumadora altamente passiva, Que me permitiu viver de forma mais saudável. Não sei se a decisão partiu de si, ou foi pressão de outros congéneres europeus, mas foi com ele que um dos meus tormentos acabou.
E, apesar de nem o poder ver à frente, devo-lhe esta. Eu e todos os portugueses que sofrem e pensam como eu acerca deste assunto.

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Há mais 2 fãs cá em casa

Disto...


Desde miúda que adoro este gelado. E agora que voltou, dei aos meus filhos a experimentar e....não querem outra coisa!
Só não percebo qual é a relutância da Olá em vendê-los. Corro pastelarias e locais de venda de gelados aos montes e não o encontro. "Vem pouco" - dizem os lojistas. Mas porquê? Não tem um sucesso do camano?
Então fui agora encontrá-lo na secção dos congelados do supermercado. Pronto! Já aliviámos o vício!

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Ai Catarina, Catarina

Então a menina vem outra vez a público mostrar que está contra (ou a favor de alguém que estará contra) o seu maninho mais velho?
Bem sabemos que nunca lhe prestou grande vassalagem, que a menina sempre foi muito rebelde em relação ao que o seu irmão preconiza. Mas bolas! O seu irmão mais velho faleceu, e agora este é o único que tem.
Há uns anitos, quando ele andava a apregoar que seria sempre contra o aborto, a menina veio a público dizer que já tinha feito um (não era preciso ser tão descarada, pois não? ninguém tem nada a ver com a sua vida íntima), e agora vai apoiar o António Costa do PS?
Ai, ai. Tantas amizades familiares que por aí andam......