quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Como a minha vida seria perfeita

Não me posso queixar da vida, mas há uma coisa que seria um dos maiores luxos que poderia ter, e que a tornaria perfeita. Levantar-me à hora que queria, sem ter de dar um salto todos os dias na cama com o despertador.
Não seria nenhum escândalo, porque não sou mulher de me levantar muito tarde (já lá vai o tempo). Pois ao fim de semana por volta das 09:00h já estou normalmente a pé. Mas levantar-me quando o meu corpo dissesse: "Sim, já podes, estás pronta!" seria o céu.
Levantar-me sem pressas, bem descansada e pronta para um dia difícil de trabalho.
Mas não posso. Há compromissos, o meu filho entra nas aulas às 08:10h, e por isso a alvorada lá em casa tem de ser cedinho.
É uma pena realmente. O relógio por vezes é um grande inimigo

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

O Piano

Não ando a aprender piano, mas os meus filhos andam. E depois de ver o meu filho a tocar uma música linda de Bach, estive-me nas tintas para os treinos básicos e pus-me a tentar tocar aquilo, com sustenidos por todo o lado, ora na mão direita, ora na mão esquerda. Há mudanças de escala em vários locais da música e, para não atropelar muito os tempos, temos de ser rápidos com essas mudanças. O meu filho vai-me ensinando, explica-me onde colocar os dedos tal e qual a professora lhe ensina porque eu nunca tive aulas nem de piano nem de música à séria, sem ser aquelas tristes investidas do ministério da educação no meu então ciclo preparatório. Ele toca 1 ou 2 vezes por dia, e nem todos os dias treina. Às vezes até temos de ralhar porque tem de treinar mais. Mas ele consegue! Aquele cerebrozinho tipo esponja apanha tudo num instante. E eu? Bem... eu.....eu estou quase a conseguir tocar a música que quero, quase, quase, mas acho que treino, sem exagero, umas 10 vezes mais do que ele. Consigo estar mais de 1 hora a treinar e consigo enganar-me em quase todas as vezes.
Mas estou mesmo quase a conseguir. Embora bastem uns dias sem treinar e já ponho os pés pelas mãos.
A idade é lixada. Não há dúvida que o velho ditado "Burro velho não aprende línguas" teve de surgir da realidade nua e crua. Eu (ainda) só tenho 40 anos e sinto já uma dificuldade tremenda em aprender certas coisas.
Mas hei-de conseguir!!!

sábado, 30 de janeiro de 2016

A natação e a minha bexiga

Vou normalmente uma vez por semana à natação. E acontece-me um fenómeno estranho. Antes de entrar na piscina, vou ao wc aliviar a bexiga para não me dar vontade a meio, e lá vou nadar. Mas para aí a 3/4 da aula começa-me a dar uma vontade tão grande, mas tão grande em voltar a fazer xixi, que me vejo por vezes aflita para acabar o meu treino. E tendo em conta que não bebo líquidos antes de ir, que vou ao wc antes, e que o treino dura cerca de 45 minutos, não consigo perceber de onde vem a quantidade de água que saí por mim abaixo no final de cada aula. Tendo em conta que tambêm não costumo engolir grandes quantidades de pirulitos, de onde virá aquilo tudo, senhores? Será que a água me entra em força pelos poros adentro, e se infiltra em todo o meu corpo descoberto? Ainda hoje me voltou a acontecer e foi realmente inacreditável a quantidade de água que tive de expelir. E que alívio que foi depois. Ahhhhhh

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Treinadores de bancada

Da última vez que levei o meu filho à aula de ténis, tive o prazer de apreciar alguns dos pais que lá estavam (elemento masculino) a assistir igualmente à aula, tal como eu.
Aquilo é que foi ver (e ouvir) opiniões acerca da prestação dos petizes, mesmo ali debaixo do nariz do professor, que os vai ensinando e orientando:

"- O que é que foi isso E. ? Queres ir para casa?"
"- Tens de ver a bola a bater no chão..."
"- Olha o teu corpo! Tem de acompanhar o movimento... assim, olha, olha"
"- Não! O braço tem de vir cá atrás!"
"- Está com atenção!"
"- Olha agora como faz o outro, vê...."
"- Mexe-te! Não podes ficar parado!"

E pronto! É isto. Começo a achar que o professor não está lá a fazer quase nada, dado que há um montão deles cá fora a opinar sobre o que os miúdos devem ou não fazer. Haja paciência


segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

As minhas reações aos resultados de ontem

1. A vitória de Marcelo não me surpreendeu... e, aqui para nós, ainda bem :)

2. O resultado de Maria de Belém até me deixou envergonhada...por ela. Que é uma senhora e, sinceramente, não percebo por que teve tão pouco. Não merecia!

3. Marisa Matias deixou-me de boca aberta. Não esperava um resultado tão alto, o que só mostra que aquele Bloco feito de mulheres de garra ainda vai dar muito que falar.

4. Tino de Rans ficou à frente da maioria dos outros candidatos eruditos, o que só prova, na minha modesta opinião, que a malta quer mesmo uma viragem na política e está disposta a tudo...até a ter um Tino como presidente.

E pronto, tirando o vencedor que não foi surpresa para ninguém, os resultados de ontem foram uma caixinha, ou melhor, uma caixona, de surpresas. Dá que pensar!

E agora só espero que Marcelo não desiluda os portugueses. Que estão à espera de um Presidente mais interventivo que o anterior, mais consensual, mas dinâmico, mais jovem, mais tudo!

Grandes expectativas que, espero, não caiam por terra depressa. Força Marcelo!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Das Presidenciais

Vi o debate 4ª feira, que na 3ª estava fora de casa e não pude ver. Aproveitei as maravilhosas funcionalidades da box, e lá fui vendo o que queria, pondo para a frente de vez em quando, porque não tive paciência para ver tudinho.

Conclusões a tirar:

1. Havia candidatos que eu nem sabia que o eram;

2. Gostei de praticamente tudo o que disse o candidato Jorge Sequeira, mas serei incapaz de votar numa pessoa que mal conheço porque a minha consciência assim o dita;

3. O Tino de Rans pode ser muito boa pessoa (que o meu 6º sentido me diz que sim, que é de certeza), mas para além das gargalhadas que dei a ouvi-lo, não passa de um palhacito que gera cuspo branco em cima do lábio inferior, o que me impede de conseguir olhar para ele durante muito tempo sem me meter nojo. Imaginem-o ao lado de um Obama ou do Rei de Espanha - Nada contra, mas cada macaco no seu galho, não é verdade?

4. A Marisa Matias é uma mulher de garra, mas não a imageno como Presidente, nem pintada toda de ouro;

5. O Professor Marcelo, coitado, estava ali minado de gente diferente dele, era um autêntico peixe fora de água.

E pronto. Domingo lá vamos votar, votem em consciência, que é o que vou fazer também.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Muita preocupação

Ou nós éramos ricos e andavam a esconder-nos este facto, ou este homem vai deitar o país abaixo em menos de 1 ano.
Será que não há alguém que o tire dali para fora? Por favor.....
Será que vai caber o professor Marcelo? Socorro!!!!

Complemento salarial, passes familiares e mais apoios. Eis o que aí vem

Executivo socialista aposta na atribuição e criação de apoios diversos.



domingo, 17 de janeiro de 2016

Motivações para correr

Também se conseguem à conta da indumentária que existe para exercício físico. Estas calças que comprei a semana passada em saldo, são super!!
Quentes, confortáveis, adaptadas e giras que se fartam. 


quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

O Butão

O Butão é um país pequenino, que faz fronteira com a China, e chamou-me a atenção porque no outro dia me disseram que é o país com maior índice de felicidade do mundo. Ou seja, os habitantes do Butão são considerados o povo mais feliz do mundo. Interrogando sobre a causa desta nobre característica, disseram-me que é porque a sua população medita diariamente sobre a morte.
Sim, isso mesmo, a morte. E por meditarem sobre a mesma, por desmistificarem o seu sentido e aquilo que representa, não a temem como os demais e tornam-se donos de uma paz interior e de uma felicidade imensa. São budistas na sua grande maioria, claro, e vivem o seu dia-a-dia em função daqueles hábitos e costumes milenares.
Cada vez tenho mais interesse e curiosidade sobre esta religião/modo de vida/filosofia.
Cada vez a vejo mais como sendo a mais adaptada e adequada à vida acelerada e desregrada que levo em algumas matérias.
E no outro dia fui ler na missa. Porque tenho uma base católica, porque os meus filhos andam na catequese e são educados na religião católica. Mas aquilo custou-me. Estava deserta para sair daquele palanque forçado, senti ali uma qualquer traição estranha ao Deus que sempre me acompanhou, seja Ele quem for.
Butão....
Tão bonito!


terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Rotinas

Chego ao trabalho poucos minutos depois das 08:00h;
Leio os mails e respondo aos que precisam de resposta;
Analiso assuntos que ficaram pendentes do dia anterior;
Atualizo a agenda para não me esquecer de fazer nada do que queria;
Começo as reuniões;
E no meio sou interrompida por telefonemas; Por colegas no skype;
E continuo as reuniões;
E depois saio de uma para outra e encontro alguém no corredor com temas pendentes comigo;
E vou para outra reunião;
E mando mails pelo meio;
E recebo telefonemas; E skype;
Engulo um almoço pelo meio;
E volto à rotina da tarde;
Mais reuniões;
Mails para responder, chatices para resolver.
Quando ao final do dia me sento, finalmente, na minha secretária, abeiram-se de mim sorrateiramente para desabafar o que ouviram nos corredores;
E para perguntar o que fazem;
E que esta organização é sempre a mesma coisa;
E que nunca vamos mudar, etc, etc.
E chega a hora de vir embora porque tenho de ir buscar os miúdos à escola;
E recebo telefonemas no carro, e enquanto lhes dou o beijinho de final do dia;
E chego a casa, para começar a fazer o jantar;
Ligo o computador para continuar a saga dos emails que não consegui responder durante o dia;
E ponho os miúdos no banho;
E faço perguntas de História ao mais velho que amanhã tem teste;
E ponho uns exercícios de matemática à frente do nariz da mais nova, porque se queixa que não tem nada que fazer (nem sabe a sorte que tem, raio da cachopa), e apanho uma mecha de roupa que conseguiu finalmente secar com o Sol que fez hoje;
E ponho a mesa;
E tiro a miúda do banho;
E seco os cabelos;
E corto-lhes as unhas dos pés, que estão já capazes de furar qualquer calçado mais sensível.
E finalmente janto!
E hoje não faço mais nada que estou, como podem ver, completamente exausta!!

Até amanhã

domingo, 10 de janeiro de 2016

Balanço da 1ª semana do ano

Para esquecer!!!
Para além dos problemas que já tinha reportado num post anterior, na 6ª feira arreliei-me tanto no trabalho, mas tanto, que ía saindo a jato teto fora, tal era o turbo que tinha nascido em mim. Para agravar ainda mais a situação, fiquei tão desiludida com uma questão familiar que, enquanto almoçava, senti a ansiedade voltar em força, e demorei algum tempo a acalmar.
Foi uma semana dura! Muitas coisas chatas, estou com muitíssimo trabalho e nem sei para onde me virar, e depois há diabinhos a minar-me os ouvidos e que não me deixam ter paz interior.
Mas vou acreditar piamente que o ano começar mal, é só mais um motivo para que melhore daqui para a frente. Já não será a primeira vez que vai acontecer.
Vai ser um grande ano concerteza, e estes problemas de menor valor hão-de rapidamente ser substituídos por coisas muito boas.
Positivismo acima de tudo!

Besitos!

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Diz o povo....

Que o tempo que fizer nos primeiros 12 dias de Janeiro irá corresponder ao tempo médio que fará em cada um dos meses correspondentes. Ou seja:

Se choveu dia 1 Janeiro - Será um Janeiro chuvoso;
Se fez Sol dia 2 Janeiro - Será um Fevereiro solarengo;
Se esteve assim assim dia 3 Janeiro - Será um Março assim assim.

e por aí adiante....

Ora acontece que se esta sabedoria popular estiver correta, e sendo hoje já dia 8 de Janeiro, parece então que vamos ter chuva e vento até Agosto. hum.... será?!?!?
Ai caraças, espero bem que não.


quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Marisa Matias

Não consigo estar muito tempo nem a ver nem a ouvir esta mulher.
Aquela voz de fumadora compulsiva (se não o é, com a fama fica), e aquele cabelo agarrado à cabeça, como já é apanágio das mulheres do bloco de esquerda, complicam-me com os nervos.
Não consigo imaginar, nem num cenário muito estranho, esta mulher como Presidente da República portuguesa. Cruzes Kredo!!!


terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Diagnóstico Feito

O meu automóvel parou ontem por falta de bateria. Foi o veredicto vindo da oficina ao final desta tarde. Até aí nada de especial, acontece a todos de vez em quando. Mas há um problema a pairar-me no ar. É que é a terceira vez que me acontece em menos de 7 anos de carro. O meu bólide, com 6 anos e meio de vida, irá agora para a sua quarta bateria. Quarta!!! E sabem quantos Kms tem o meu popó? 40.000. Pois é! Significa que cada bateria no meu carro dura pouco mais de 10.000 Kms. Por isso, e por muito pouco entendida que seja no assunto - até porque sou gaja, logo não percebo nada de carros - isto não pode ser normal. Por isso vou resmungar, e muito! Porque não posso andar a alimentar o carro a baterias para além da gasolina. Fica um filho demasiado caro, não?
O que me chateia é que já vi que tenho muitas chatices pela frente. Até fazer ver a minha opinião, vai ser lindo, vai!!

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Começar bem o Ano de 2016 é:

1º : No dia 1 de Janeiro, ao querer tomar um banhinho, o esquentador não ligar. Ter de levar com as vicissitudes de ser feriado, 1º dia do ano e ainda estar entalado entre um fim de semana. Resultado: Deslocação de técnico mais cara, e logo um orçamento assim bem jeitoso para podermos tomar um banhinho de água quente que, ao fim de contas, é um luxo.

2º: No dia 4 de Janeiro (hoje, portanto), ficar com o carro avariado já depois do horário normal de trabalho, debaixo de uma chuva e ventos torrenciais, na faixa do meio de uma estrada, a empancar tudo e todos. E depois de colocar o triângulo, a chuva deitá-lo abaixo, e os carros passarem-lhe todos por cima, tendo ficado com ele todo estraçalhado. Estar mais de meia hora à espera de reboque, que o trânsito estava caótico, e ficar sem carro agora não sei até quando.

E uma entrada no ano melhor que esta, hein? Quem me ganha?