sexta-feira, 8 de junho de 2018

Uma vida com 2 empregos

Tenho andado um bocado (para não dizer muito) atarefada.
Nos últimos tempos nem tenho tido tempo para vir aqui dizer um "Olá" ou uma parvoíce que me apeteça desabafar, mas aqui a vossa amiga meteu-se numa aventura que lhe saiu bem do pelo.
Um dia destes, através do linkedin, mandaram-me uma mensagem a perguntar se eu não queria ir dar uma formação para a qual tenho alguma aptidão.
Ao início desdenhei um pouco, e dei uma resposta daquelas a desdenhar, mas que se por acaso as condições fossem boas, quem sabe...
Acontece que fui a uma primeira conversa, depois a uma segunda, e a coisa deu-se. Teria de ir dar formação todas as 2ªs e 4ªs entre as 19h e as 22:30h, durante 5 semanas.
Como foi a 1ª vez que tive de dar a formação, tive de a preparar, óbvio! De maneiras que passei todos os últimos fins de semana de volta daquilo. Estudar, preparar, afinar os textos e exercícios para caberem no programa...enfim, uma trabalheira.
Como no meu emprego diário começo a trabalhar a partir das 08:00h, o meu horário de trabalho nesses dias foi de, sensivelmente, 14:30h. É certo que parava para almoçar (mas sempre menos de 1 hora) e também tinha de me deslocar entre um emprego e outro, onde chegava sempre mais cedo para fazer uma preparação prévia.
Mas o que eu andei extenuada foi obra, meus amigos. Isto de ter 2 empregos já não dá para a minha idade e para todos os afazeres que tenho diariamente e que não se evaporaram no céu.
Ganhar dinheiro custa muito. E não ganhei propriamente para algo que valesse realmente a pena.
Caraças! Nem a trabalhar que nem uma verdadeira maluca fico rica.
Isto tem de haver outra maneira... sem ser roubar como o Sócrates, claro!
Uff...

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Harry e Meghan

Não é que o Harry faça o meu género. Sempre o achei feiinho, feiinho, comparativamente ao irmão que sempre achei lindo de morrer. Não acho piada a ruivos e ele, na minha modesta opinião, não traz assim nada de encantado como príncipe.
Mas como mulher, com o meu lado romântico e de coração de manteiga, não pude deixar de apreciar uma boa história de Amor.
Acho que esta relação tem tudo para dar mal, e acho que o casamento até foi demasiado precipitado, face ao tempo em que namoraram. Quiçá pela idade da noiva, que já não vai para nova, e a família real quer-se jovem e fértil, para dar continuidade à condição genética imposta.
Pois isto tudo para vir agora para aqui dizer que o vestido era assim a modos que.... a modos que... simples demais.
Também gosto de simplicidade, nada de coisas espampanantes, mas ele há coisas e situações que exigem assim um bocadinho mais de qualquer coisa. A moça chegou com um decote à barco, que foi a única coisa em que a imprensa se fixou para descrever o vestido que, a bem dizer, não tinha assim muito mais a descrever. Os tecidos podem ser nobres, sim, haver milhentos forros a tornar a coisa bem mais encorpada, mas qualquer semelhança entre aquele vestido e um outro qualquer comprado num catálogo online ou numa loja de chinês, não seria mera coincidência.
Por favor!!!
Bom, que sejam felizes enquanto puderem, que o Harry desfrute da sua morena bonita (muito gostam os ingleses de morenas, santo Deus, já nem podem ver loiras de olhos azuis à frente), e que não chateiem muito a família real que já tem chatices que bastem.
Felicidades!




quinta-feira, 17 de maio de 2018

Supermercados Biológicos

Já há algum tempo que queria ir experimentar fazer compras num supermercado biológico. Já tinha pensado, inclusivé, em mandar vir legumes e frutas daquelas empresas que vendem via NET e depois fazem as entregas de cabazes em casa.
Já andei a espreitar muitos, mas acabei ainda por não me decidir a encomendar por nenhum.
Mas no outro dia, à conta de ter tido um dia de férias só para mim, lá fui experimentar um supermercado biológico que fica ali para os lados do Saldanha.
Já tinha visto publicidade por variadas vezes, mas não fica propriamente em caminho, pelo que ainda não tinha dedicado um sábado qualquer para lá ir.
Mas fui, e fiquei lá imeeeeeennnnnso tempo. Vi tudo com calma, li rótulos e mais rótulos, comparei, mexi, analisei.
E lá trouxe um leque de produtos para experimentar, os que estão na foto.


Os iogurtes são, simplesmente, maravilhosos, adorei!
A mistura de muesli é agradável, o doce de mirtilos biológico, excelente, a manteiga Bio embora de sabor diferente, também é muito agradável, os espargos eram ótimos. O chocolate em pó que comprei para o leite, é ótimo. Mais amargo, mas uma colherzinha dá logo um sabor incrível e nota-se que não tem aquelas quantidades enormes de açúcar.

O que achei dos preços? São naturalmente mais caros do que os produtos não biológicos de um supermercado habitual, mas notei algo curioso: É que para os produtos que também já existem nos outros supermercados na prateleira dos produtos biológicos (tais como doce, espargos, etc), estes produtos são mais baratos.
Por isso, se querem produtos biológicos, não compensa ir às prateleiras dos Continentes e Pingos Doces desta vida, pois ele aproveitam-se bem nos preços.

E é isto. Foi uma boa visita. E vou regressar!


segunda-feira, 30 de abril de 2018

Filetes de peixe em crosta de ervas com legumes

Adoro esta receita. E de saber que só tem coisas boas e saudáveis ainda me faz gostar mais. A inspiração veio de um livro da Mafalda Pinto Leite, que tenho em casa, e que hoje resolvi fazer, com pequenas alterações.
Uma delícia.



Ingredientes (para 3/4 pessoas):
 
Para o peixe:
3 filetes de peixe panga
2 cháv. De pão ralado
Raspa de um limão
1 malagueta fresca sem sementes
Coentros picados q.b.
2 c. sopa óleo de côco 
Sal e pinenta q.b

Para os legumes:
1 batata doce cortada em cubinhos
1 cebola roxa picada
1 molho de espargos cortados em pedacinhos
1 pedaço de abóbora cortada emcubos

Comece por juntar os ingredientes para a crosta. Juntar o pão ralado com a raspa de limão, a malagueta bem picadinha, os coentros, sal e pimenta. Junte depois o óleo de côco de forma a que fique uma pasta e agarre aos filetes. Cubra o peixe com esta mistura e coloque num tabuleiro forrado com papel vegetal. Leve ao forno cerca de 20 min. a 200 graus.
Entretanto junte todos os legumes cortadinhos num outro tabuleiro, misture com sal, pimenta e regue com um bom fio de azeite.
Leve igualmente ao forno ao mesmo tempo que o peixe.

Bom apetite!!!!

sexta-feira, 27 de abril de 2018

O meu chiliquito

Há muitos tipos de animais de estimação.
Há quem tenha cães, gatos, periquitos, canários, hamsters, cágados ou tartarugas, aquários com peixes, e até já vi quem tenha porcos.
Pois lá por casa, decidimos que havíamos de ter um animal de estimação assim fofinho, fofinho.
Se me perguntassem qual era o meu animal de eleição, talvez respondesse o Cão. É super leal, inteligente, um companheiro para a vida.
Mas eu não me consigo imaginar com mais tarefas do que aquelas que já tenho, e ter a obrigação de o ir passear é assim algo que ainda não consigo imaginar na minha vida. Depois há a questão de viver num apartamento e da nossa vida dentro dele se resumir a jantar, dormir, e deambular por lá aos fins de semana. Um cão é carente e precisa de mimo, de gente por perto. Não seria bom para o animal.
De gatos não gosto. Para além de serem uns grandes chulos porque só querem é comida e liberdade, deixam pelo por toda a casa. E se há coisa que a minha casa já nunca está - é limpa!
Vai daí, depois de estudar um bocado o assunto, e de perceber que os miúdos estão numa idade ideal para tomarem conta de um animal de estimação, decidimos-nos por um: Coelho!
Mas não é um coelho qualquer. É um belier anão e é assim das coisinhas mais fofas que já me vieram parar às mãos. Os miúdos adoram - principalmente a minha filha que acha tudo fofo e lindo. E eu vou-me derretendo completamente com aquela criatura.
Se dá trabalho? Também dá, claro, que aquilo não é nenhum boneco. Faz xixi e cocó, come que nem um alarve, e como o soltamos todos os dias, acaba por trazer sempre feno agarrado ao pelo, o que tem deixado a nossa casa um bocado mais suja que o habitual.
Ainda não sabemos se é macho ou fêmea, porque ainda é bebé, pelo que o nome ainda anda a ser discutido sem grande confiança para uma decisão unânime.
Mas é um animal inteligente. Já nos conhece lindamente e numa semana e meia deixou de fazer as necessidades no chão da nossa cozinha e só faz na gaiola. A nossa gaiola tem um recipiente próprio para fazer de casa de banho, e o xixi já só faz mesmo lá religiosamente. As bolitas de cocó, que mais parecem smarties, é que ainda ficam um bocado de fora (para aí 10% do total).
Em suma, o bebezão aprendeu depressa e, quando o soltamos na cozinha, lá anda a espreitar por todo o lado e a correr quando lhe dá na gana. Como às vezes se sacode todo enquanto corre, parece que está a ter pequenos chiliques, pelo que por agora farto-me de lhe chamar o meu chiliquito.
Adora ser penteado, e aquece-me as perninhas enquanto o penteio ao meu colo.
Enfim, é a  verdadeira fofura lá de casa.
Ora vejam lá se eu não tenho razão:



sexta-feira, 20 de abril de 2018

1986 - A Série do Momento

Sempre adorei ver séries de época portuguesas.
Não perdia um "Conta-me Como foi", babava em frente ao "Vidago Palace" e há uns tempos, quando soube que o Nuno Markl estava a escrever uma série de época, fiquei, obviamente, muito curiosa. Até porque 1986 é, desta vez, na minha época!
Confesso que tive medo de exceder as expectativas. O Nuno Markl tem imaginação para dar e vender mas, nunca se tinha atirado para estas aventuras, e tive mesmo (muito) receio que a coisa fosse bater um bocado ao lado.
Comecei a ver o primeiro episódio um pouco a medo, mas depressa me agarrei ao ecrã, como há poucos programas que o conseguem fazer. Ultimamente sou mesmo muito pouco televisiva, não tenho muita paciência para quase nada. Já não suporto novelas (só acompanho aquela que se chama "Processo Marquês", hihihi), notícias vejo muito poucas, já deito concursos pelos olhos, programas daqueles que só falam em desgraças e crimes são de fugir, de maneiras que os meus canais se resumem quase ao 24kitchen e ao ZenTV para ver se aperfeiçoo as minhas práticas de yoga e de vida mais Zen.
Mas continuando com a conversa da série, e de uma forma resumida: A-DO-RO!
Lembro-me lindamente de andar com o autocolante do "Soares é Fixe", de achar o máximo aos carros com as músicas da campanha, quase me emocionava a cantar aquilo. Eu tinha 10 anos e vi o debate Soares vs Freitas com todo o meu empenho de portuguesa.
Os Video-Clubes, a indumentária do programa, as rádios pirata (onde eu também participei em programas infantis, num sótão de um cimo de um prédio perto de minha casa). Ah, memórias boas e ao mesmo tempo tão frescas ainda...
E à parte de um ou outro personagem que acho um pouco exagerados (o Pai da personagem principal parece-me excessivamente comuna - nunca conheci ninguém assim naquela altura - e a menina gótica com uma mãe que só dá salvas a Hare Krishna - por favor, um bocadinho menos), de resto perfeito.
O betinho da mota, o típico miúdo mal vestido e inteligente, as miúdas betas, tudo!
Muito bem conseguido Nuno Markl. Se já gostava de ti antes, subiste ainda mais na minha consideração. 1986 - Para sempre!

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Tratamento do rosto com radiofrequência

Isto nem parecem conversas aqui deste blog, mas há por aqui sempre lugar para a novidade.
Já há umas semanas que tinha uma clínica de estética a ligar-me constantemente para aproveitar uma promoção. Tinha colocado o meu número de telefone num anúncio de facebook pois, por 14,99€ faziam um tratamento ao rosto inovador, etc. E como eu nunca faço nada, e a idade - convenhamos - não para de avançar, lá resolvi aceder depois da insistência das senhoras que me ligavam e que de tudo faziam para que eu conseguisse fazer o tratamento dentro do período de promoção.
E lá fui ontem, sem saber muito bem ao que ia, na expectativa ínfima de inverter esta coisa do envelhecer.
Quando lá cheguei é que percebi que o tratamento era feito através de uma máquina inovadora com emissões de rádiofrequência e que, com o auxílio de alguns cremes, conseguia atuar nas camadas mais profundas da pele para uma regeneração.
Foi um tratamento agradável, ainda senti umas picadinhas das ondas emitidas pela máquina, mas o que é certo, é que fiquei realmente com a pele mais firme.
Esta era apenas uma promoção, agora teria de comprar a máquina e os cremes para ir fazendo em casa, mas eu vim embora na expectativa de investigar melhor o assunto.
Mas o mais engraçado está para vir.
Entrei no carro e, ao olhar-me ao espelho, deparei-me logo com uma imagem de mim própria muito mais agradável. Pele mais firme, bochechas mais subidas, parecia até mais magra na cara. Vim toda contente a contemplar-me em cada semáforo.
Depois cheguei a casa, a minha filha olhou para mim e perguntou:
- Mãe! Tu....tu... tu foste ao cabeleireiro?
Risada logo bem sonora minha por ela ter reparado que havia algo diferente em mim.
Mas não lhe disse nada e voltei a sair porque tinha uma consulta com o mais velho.
Quando voltei a casa, já o meu homem tinha chegado. Dei-lhe um beijo, ele olhou para mim e perguntou:
- Foste ao cabeleireiro?
Nova gargalhada minha pois parecia que tinham combinado.
Lá lhes respondi que estava diferente sim, mas não era no cabelo. Era mesmo na cara! E lá lhes contei onde tinha ido e o que tinha feito.
Por isso minhas amigas... para eles terem reparado, semsaberem de nada, que eu estava com qualquer coisa diferente.... é porque a coisa resultou mesmo.
A conclusão é que agora não paro de fazer pesquisas sobre aparelhos de rosto de rádiofrequência.
Porque aquilo..... funciona mesmo!!!!!!

quinta-feira, 29 de março de 2018

Veneza

Já há muito tempo que queria vir a Veneza. Era um destino que me estava encravado na goela, e cada vez era mais difícil de suportar. Já tinha ouvido muita gente falar do encanto desta cidade, outros havia que não achavam muita piada porque às vezes cheirava mal, etc, etc. Há pouco tempo deu na TV um filme da Angelina Jolie e do Johny Deep (agora não me lembro do nome), que era aqui praticamente todo filmado. Fiquei ainda mais obcecada por vir, cada vez sonhava mais com este destino.
Até que a coisa se proporcionou agora na Páscoa. O objetivo era conhcer primeiro Verona, depois Veneza.
Verona é um encanto, fofinha, linda, com lojinhas por todo o lado, monumentos e igrejas de cortar a respiração, um rio que a percorre e lhe dá aquele tom romântico e airoso. Tem praças maravilhosas, tem a varanda da Giulieta, tem a arena de Verona e o Duomo que é verdadeiramente indescritível (e não estou mesmo a exagerar). Adorei Verona, era daqueles sítios onde acho que podia viver. Depois viemos para Veneza....
As expectativas eram bem altas, mas não saio defraudada. Meus amigos: se ainda não conhecem Veneza, comecem a fazer as malas e a preparar o mealheiro. A cidade é cara, sim, mas não precisamos ficar a pão e água para cá virmos.
Amei a viagem de barco que tive de fazer logo assim que aqui cheguei para ir para a nossa casa alugada. Percorri o grande canal de Vaporetto, e tive logo uma vista fantástica de toda a cidade. Adorei andar de Gôndola (é caro mas um must have!) e devo dizer que, para além da alimentação, foi o único serviço que comprei em Veneza. De resto foi passear, apreciar o ambiente, as paisagens, uma explanada ao final do dia para beber uma Spritze e apreciar o movimento fluvial que é uma verdadeira loucura. Não há carros, motas ou bicicletas. Tudo é feito através de barco ou a pé. Andei muito Veneza fora, subi e desci muitas pontes, vi paisagens lindas nestas ruelas aquáticas, mas isto é realmente muito diferente de tudo o que já tinha visto em viagens. A-DO-REI.
E posso voltar, nem que seja por um dia, várias vezes na vida. Se tiverem uma boa pedalada, um dia inteiro chega para conhecerem o principal de Veneza. Venham, a sério. Pode cheirar mal num sítio ou outro ( sim, aconteceu), mas não tira o encanto desta cidade.
Ah, bela Itália....















domingo, 25 de março de 2018

Aquilo que levamos melhor da vida

As viagens!
Hoje estivemos por Verona, depois de um início de dia hiper cansativo que começou às 4:15 da manhã (3:15 hora antiga). Escusado será dizer que não dormi nada, e depois de apanharmos 5 transportes, chegámos finalmente ao destino: táxi, avião, autocarro, comboio, autocarro. Eram quase 16h quando chegámos ao nosso Bed & Breakfast em pleno centro histórico de Verona. Ainda fizémos uma bela caminhada, mas o cansaço já é muito e precisamos recarregar baterias para amanhã.
Fica uma foto bonita do nosso primeiro passeio por terras de Romeu e Julieta.



Arriverderchi


sexta-feira, 16 de março de 2018

Mas agora anda tudo de barba?

Se calhar isto já aconteceu há muito tempo, mas eu só agora reparei (sempre fui um bocado - muito - distraída) que os homens (uma grande maioria) resolveram todos deixar crescer a barba.
Não é coisa que aprecie, tirando uma ou outra exceção, mas ultimamente para qualquer lado que olhe, tenho um homem de barba. Na esmagadora maioria dos casos, só me apetece fazer: "blhéc"!
É que se há aqueles que a deixam crescer e vão tratando dela, depois há a maior parte em que parece que têm um espanador mal colado pela cara fora.
Há outros em que a barba até caracóis faz, com pelos pendurados abaixo do nível dos lábios... olhem, uma verdadeira porcaria.
É assim meus senhores: Se querem ter barba, então têm de tratar dela. Nem sei o que será pior, se uma barba em mau estado ou unhas por cortar (ao escrever isto, até me arrepiei). Por isso, toca de se olharem ao espelho, pegarem nos utensílios necessários para a tarefa (não faço ideia de quais serão para se conseguir ter aquele aspeto aparadinho), ou vão a um barbeiro decente.
Bale?

quinta-feira, 8 de março de 2018

Afinal também já tenho uma.... toma, toma!

Afinal também já arranjei uma frigideira Master Copper.
Tanto a cobicei quando a via na TV, mas encomendá-la desta forma estava fora de questão. Ainda tentei encontrar parecidas e, quando vi uma no Pingo Doce do mesmo género, ofereci-a à minha mãe. Como ela me disse que estava a correr bem, fiquei cheia de vontade de ter uma igual. Mas as do Pingo Doce desapareceram e, no último fim de semana, enquanto deambulava pelo Continente, vi esta, a autêntica, a verdadeira frigideira Master Copper.
Até agora já fiz panquecas, salteei legumes, e correu lindamente. Não estou a pensar lá colocar pregos nem derreter copos de plástico, de maneiras que estou esperançada numa relação duradoura.
Aqui está uma foto da Minha menina:




segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Desodorizante em pedra

Já há algum tempo que uso desodorizantes feitos a partir desta pedra (de alumen). Comecei a usar porque li um texto do Miguel Esteves Cardoso em que referia o seu uso e o da sua mulher, desde que esta tinha tido um cancro de mama. Cemecei a mandar vir os desodorizantes de sites da net, porque não havia cá, e andava satisfeita. Eram feitos a partir desta pedra, não tinham alumínio nem álcool nem nada que me fizesse qualquer tipo de reação, cheiravam bem, eram eficazes, preço normal. Até que, da última vez que fiz a encomenda, não correu bem. Andaram por aí perdidos na distribuição, não percebo bem porquê, e não os cheguei a receber.
Entretanto houve uma amiga que já me tinha falado nesta pedra, que havia à venda no celeiro, e resolvi experimentar. Custou-me à volta de 10€, molha-se e usa-sa depois na axila.
Já o ando a usar há algum tempo e ando bastante satisfeita. Não tem cheiro, não tem químico nenhum esquisito que faça mal à saúde e, até agora, é eficaz. É verdade que o estou a usar no inverno, que é a época menos crítica, mas eu sou pessoa que transpira muito, às vezes, só porque estou nervosa. Por isso, ainda tive algum receio inicialmente, mas agora estou mais confiante. Ah, e isto dura imenso, ainda nem dei conta da pedra ter reduzido alguma coisa, desde que comecei a sua utilização. Por enquanto é uma aposta ganha, vamos ver quando chegarmos ao calorzinho bom do verão.



quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Mousse de chocolate pirosa

E como passámos mais um dia de São Valentim, sai uma mousse de chocolate a atirar para o pirosa, assim como o próprio dia o exige. Ficou maravilhosa tanto em sabor, como em aspeto, que os olhos também comem.



Ingredientes:

250g de chocolate de culinária 
6 c.sopa de açúcar amarelo
6 ovos
2 c.sopa de margarina 
2 c.sopa de leite
Framboesas q.b.
Nozes picadas q.b.

Coloque o chocolate a derreter em banho-maria juntamente com a margarina e o leite.
À parte, mexa as gemas com o açúcar até o preparado fazer bolhinhas e ficar esbranquiçado. Bata as claras em castelo bem firmes.
Junte o chocolate aos ovos e açúcar devagarinho para que os ovos não cozam no chocolate ainda quente.
Depois de bem mexido, junte as claras em castelo de forma suave, sem bater.
Leve ao frigorifico, pelo menos uma hora para que a mousse fique bem firme.
Decore com framboesas e nozes picadas a gosto.
Bom apetite!!

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

O meu melhor Caldo Verde de sempre

Sempre fui mocinha de fazer um bom caldo verde.
Como os meus filhos passam a vida a resmungar quando há couves a boiar na sopa, acabo sempre a fazer cremes de legumes e outro tipo de sopas passadas para não ter de os ouvir.
Mas esta semana, quando vi um saquinho de caldo verde à venda, bateu-me uma saudade, e resolvi trazer, até porque tinha um resto de chouriço no frigorífico.
Resolvi, no entanto, fazer ligeiras alterações à receita, de acordo com os ingredientes que tinha, e não podia ter ficado melhor.
Os miúdos continuam a embirrar com as couves, mas eu e o homem cá de casa fomos ao céu com esta sopa, e até repetimos por nos saber tão, mas tão bem!



Ingredientes:

3 dentes de alho
1 chuchu
4 batatas
2 cebolas
1 cenoura
1/2 talo de aipo
Rodelas de chouriço 
Couve galega para caldo verde
Azeite q.b.
Sal q.b.

Comece por cortar todos os ingredientes em pedaços e junte apenas 1 rodela de chouriço. Regue com azeite e leve ao lume a refogar um pouco.
Junte a água quente e deixe cozer. Quando os legumes estiverem cozidos, triture tudo com a varinha mágica. Junte a couve e deixe cozinhar novamente. Tempere de sal e junte agora umas rodelas de chouriço a gosto.
Sirva bem quente!

Hum..... que delícia!!

Filme Coco

Este filme já está em cartaz há algum tempo, mas eu ainda não o tinha visto. Confesso que já começo a ficar farta de ir ao cinema ver filmes infantis, mas enfim... é a vida, e os miúdos crescem num instante, não tarda nada já anda um para cada lado.
Mas hoje, que é day-off aqui para as nossas bandas e tínhamos bilhetes para gastar, lá escolhemos este filme por já ter ouvido por mais do que uma vez que era bem giro.
Confesso que as expectativas não eram altas porque às vezes nota-se que já fazem este tipo de filmes só porque sim, porque é Natal, ou porque está na altura de sair mais um, mas desta vez dou a mão à palmatória. O filme é mesmo giro!
Uma história muito original, cenários lindíssimos, adorei e recomendo! Sim senhora!! 
Se ainda não viram e tiverem oportunidade, aproveitem!