segunda-feira, 30 de maio de 2016

A babar

Passar o fim de semana a olhar para piscinas, e com uma pena enorme de não as poder experimentar porque o tempo não ajudava...
Vento, chuva de vez em quando, aragens frias, e o Sol para aquecer numa ou outra aparição, que não as suficientes para nos deixar ter um saborzinho a verão.


Foi tempo, portante, de olhar e babar, à espera que chegue a nossa vez de voltar a sentir a maravilha que é estar de férias e aproveitar uma boa piscina, num sítio calmo e prazeroso.
Hum....

terça-feira, 24 de maio de 2016

Amarelo?!?!

Ontem passou uma colega minha por mim com uma camisolinha amarela e eu comentei com ela:
- Ah, tás tão bonita de amarelinho.
Ao que ela responde:
- Sim, à canário.

Durante a tarde tive uma reunião com 2 colegas onde uma delas vinha de preto com um casaco amarelo bem vivo, ao que comentei (sou uma rapariga muito comentadeira):

- Ena, mais uma menina de amarelo, e esse bem vivo!
Ao que ela me responde:
- É assim, se é para ser visto, é à séria (era uma mulher do norte, carago, sem papas na língua).

Depois desta reunião voltei a passar por uma outra colega que também tinha uma qualquer roupa amarela (já não me lembro qual), e depois fui para a última reunião do dia (vida de reuniões, a minha), em que entra uma colega já atrasada com uma blusa..... Amarela!

Lembrei-me depois que tinha visto um post no blog da cocó em que esta estava com um vestido lindíssimo amarelo!

Ok, ok, já percebi. Este ano é o amarelo que está a dar no verão. Eu só ainda não tinha percebido. Será que ainda vou a tempo de adquirir uma qualquer peça?


segunda-feira, 23 de maio de 2016

Sobre a Uber

Nunca usei a Uber, mas na 6ª feira passada, por ter receio de não conseguir achar táxi para voltar para casa do Rock in Rio, resolvi instalar a App no meu telemóvel. Comecei a instalação, mas logo me pediram um nº de cartão para débito, e eu, desconfiada, resolvi abortar a instalação.
Quando ía no táxi à ida para o evento, apanhei um taxista muito simpático e, por acaso, falámos na Uber e contei-lhe do meu receio em não conseguir um táxi para casa, e daí ter tentado a instalação.
Ele não era nenhum taxista raivoso contra esta nova tendência (ou pelo menos disfarçou muito bem), mas foi-me contando que eles não podem andar na faixa do BUS (nem me tinha lembrado desta), e que em dias comuns podem ter um preço idêntico ou mais barato que os táxis, mas em dias muito concorridos podem ter tarifas muito mais caras. E depois ainda há o risco de haver um qualquer mal entendido e a pessoa já não estar presente quando chega a Uber que chamou, e o dinheirinho sai na mesma da conta, dado que pediu o serviço.
Não percebo qual é a febre das pessoas em agora insistirem em usar Uber e parecerem diabolizar os taxistas que, em abono da verdade, andam ali a fazer pela vida, mas esta conversa deixou-me a pensar.
Porque realmente desde que apareceu a Uber em Portugal, parece que se criou um qualquer movimento contra os taxistas e eu não percebo porquê. E depois de ter esta conversa, fiquei ainda mais intrigada.
É certo que para se formar uma opinião é preciso ouvir ambas as partes, coisa que eu ainda não fiz, porque nem conheço ninguém que faça uso corrente deste novo tipo de serviço, mas lá que me deixou ainda com menos vontade de usar, há isso deixou!

sábado, 21 de maio de 2016

Da segurança que presenciei no Rock in Rio

Uma verdadeira vergonha!!!!
Quando fui a Paris em setembro último (ainda antes dos atentados), só para entrar num simples museu tive de passar a mochila por um Rx, para se certificarem de que não levava por lá nada de proibido.
Quanto quis entrar na catedral de Milão (já depois dos atentados), o segurança à porta nem era nada simpática a mandar desligar máquinas fotográficas e depois a revistar a mala.
Aqui em Portugal, num dos maiores eventos musicais do País, com dezenas de milhares de pessoas, e já depois das ameaças do Daesh que presenciamos, entrei ontem no Rock in Rio sem qualquer problema, onde me mandaram sim abrir a mochila, mas simplesmente olharam lá para dentro com bastante displicência.
Algumas das raparigas que iam comigo, como levaram uma malinha pequena, nem sequer a abriram, e apenas apalparam ao de leve, sem grande entusiasmo.
A sério: Fiquei chocada. Principalmente depois de ver aquele mar imenso de gente a vibrar com o espetáculo (que foi fabuloso by the way), e de pensar que qualquer maluco podia perfeitamente e sem grande esforço, ter entrado por ali adentro e matar um grande número de gente sem culpa nenhuma.
Portugal põe-se mesmo a jeito nestas coisas... e eu borrada de medo!

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Curiosidades

Está tudo admirado com o facto da princesa Kate ter misturado um vestido dolce & gabana de 4000€ com um casaco da Zara para aí de 50€. Se fica bem, qual é o mal? 
Agora o que me chama mesmo, mas mesmo a atenção nesta fotografia, é o typical english man de ar sinistro e nariz  levantado que se encontra mesmo atrás dela. Um fartote de rir. Parece quase um boneco de desenhos animados... Lol




sábado, 14 de maio de 2016

Rock in Rio

Este ano vou lá estar, pela primeira vez. E gostaria de fazer uma pergunta aos mais entendidos: como posso ir de carro? Onde deixo o boguinhas? Bem sei que o conselho é ir de transportes, mas como as minhas companhias não moram perto de mim, depois tenho medo de voltar sozinha (sim, sou muito mariquinhas). Será que dá para ir de carro, mesmo que só hajam parques pagos, ou é melhor mesmo não arriscar porque há falta de lugares, tenho de o vir estacionar a casa?

Agradecida

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Televisão

Não dá nadinha de jeito nos principais canais, nos últimos tempos. Agora que acabou o "Bem vindo a Beirais", na RTP1 que, a meu ver, era um bonito e verdadeiro programa de entretenimento para toda a familia, a porcaria de novela que o veio substituir até dá dó. Tanta, que não consegui ainda ver um único episódio (e também já não vou conseguir), que desisto logo.
Vou passando com o comando de canal em canal e... Nada! Nada me agrada. Só novelas, masterchefs que já não consigo engolir nem com muito açúcar, comentadores políticos, notícias repetidas e bem esgravatadas 500 vezes..socorro!
E depois, como nunca me habituei a ver séries naqueles canais próprios, acabo por não ter nada a que me agarrar ao serão. Um tédio. Resta-me o facebook, o canal 24kitchen ao qual me agarro muitas vezes, principalmente ao fim de semana, e pouco mais. 
E depois, como consequência, acabam por ser a tábua e o ferro os meus companheiros de final de dia. Baaahhhh!!!

terça-feira, 10 de maio de 2016

Chuva!

Choveu todo o santo sábado. Choveu no domingo (embora menos). Choveu bem na 2ª feira, e esta madrugada acordei com o som da chuva a cair no parapeito da minha janela. Choveu bem de noite.
Agora de manhã, chove novamente.
As estradas estão inundadas de água, as estradas que não têm alcatrão estão lamacentas, está tudo molhadinho, encharcado e o frio voltou.
Depois de uns dias de manga curta e gelados, voltei a ter de pegar nos casacos compridos até ao joelho porque ainda me constipo outra vez.
Estou farta de chuva, ainda que ela me tenha dado jeito a semana passada para me livrar das minhas comichões (já livrei :) ). Por isso, já te podes ir embora que já ninguém te aguenta. Já ouvi dizer, uns rumores, de que o verão vai ser uma bela porcaria. Para variar. Diz que vai ter dias bem quentes, mas alternados com outros que nos vão voltar a lembrar o frio, e assim vamos andando intermitentes.
Dá-me cá a sensação de que Portugal começa a ser um país que, se queres verão a sério, tens de ir para outro sítio. Se calhar tenho de começar a pensar seriamente nisso. Um país com sol, calor q.b e nenhum vento no verão. É melhor começar a fazer uma listinha.
Bom, e a conversa sobre o tempo já vai longa. Uma boa semana para todos.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Do dia da mãe

Como o meu filho já anda no 5. Ano, a escola já não promove os célebres trabalhinhos alusivos ao dia do Pai ou da Mãe. Pelo que, com 10 anos, ficam já entregues a si próprios no que a estes temas diz respeito. Então, alguns dias antes do dia da Mãe, ouvia-o de vez em quando lamentar-se que não tinha nada para mim. A irmã, que ainda só tem 7 anos, apregoava várias vezes que já tinha concluído a minha prenda, e aquilo mexia com ele. Na última semana devo ter ouvido umas 20 vezes: "ainda não tenho nada para a mãe, ainda não tenho nada para a mãe...". Às tantas, e porque já me incomodava aquela ladaínha, acabei por dizer-lhe que se o incomodava assim tanto não ter algo para mim no dia da mãe, devia tratar disso e fazer ele sozinho uma prenda ou qualquer lembrança. E assim o fez. Na véspera lá andou a magicar o que fazer e, no próprio dia de manhã, levantou-se mais cedo para o concretizar. Ouvi abrir e fechar portas, abrir e fechar gavetas e armários, e já me estava a passar com o barulho, que era domingo e eu queria dormir. 
Quando me levantei já tinha o presente do meu filho pronto. 
Deixo-vos aqui um bocadinho do que ele fez para mim, para se rirem um bocadinho. 
Quando o li, tive de lhe perguntar o significado, pois não o percebia. Estes miúdos de hoje em dia já têm cá um cabedal ao nível da cultura, que vai lá, vai!!


Já agora... Um acróstico é um poema cujas primeiras letras das frases, quando lidas na vertical, formam, também elas, uma palavra ( para quem, como eu, não saiba o significado). No meu poema, as letras formavam o meu nome.
Coisinha mais linda do meu menino. Tão inteligente e criativo. 


quarta-feira, 4 de maio de 2016

Atchimmmmmm!!!!

Quando, no outro dia, fizemos a viagem de barco pelo tejo, já se começavam a ver os primeiros tufos brancos a esvoaçarem vindos das árvores. O capitão que levava o barco disse: daqui a uns 15 dias o pessoal das alergias vai começar a ter os primeiris sintomas. Dito e feito! Ainda não passaram os 15 dias, mas os efeitos começaram tenuamente esta segunda feira. É sempre assim comigo, assim que entramos no mês de maio. Dizem que amanhã chove! É chato, eu sei, principalmente depois de uns dias espetaculares que temos tido.. Mas eu agradeço. Que chova, e chova bem para me aliviar as comichões e os espirros, que isto hoje tem sido por demais!


terça-feira, 3 de maio de 2016

Sabem de quem é este olho negro?


É meu!!!!
A bem dizer já nao está bem negro. Na foto nao se vê muito bem, mas está amarelo, azul e rosa. Quase um arco-iris portanto.
E como fiquei eu assim, perguntam vocês?
Pois... Não, não tenho um marido violento nem sofri qualquer violência humana. Foi uma máquina. Um elevador com uma porta nervosa, cujo sensor deixou de me detetar enquanto tirava os sacos das compras de lá dentro, e pumbas!!!!
Uma traulitada descomunal que me deixou a ver estrelas. Saiu logo um grande galo, e mesmo não tentando ser mariquinhas pé de salsa, doeu horrores. Disse umas asneiras, coloquei gelo, mas mesmo assim não foi o suficiente para não ficar com uma marca deste calibre, em que não há ninguém que não me pergunte o que aconteceu. Pisco o olho, e dói. Passo um dedo ao de leve, e dói. Viro-me de noite na almofada, e dói. Estou assim há quase 4 dias. Não há dúvida que isto de ter um galaró em idade adulta, já não é a mesma coisa. É muito piorrrrrrrrr!!!!!!!

segunda-feira, 2 de maio de 2016

El verano...

Ainda falta um bocadinho, mas ele veio presentear-nos por uns dias, porque já merecíamos, depois de tanta chuva e frio.
Olhem para isto:


Estava tão bonito o mar....

terça-feira, 26 de abril de 2016

Da roupa... Again

Por ter aparecido, finalmente, um fim de semana de sol e ainda por cima prolongado, acho que fiz para aí umas 4 máquinas de roupa seguidas para dar vazão ao meu cesto que insiste em estar sempre cheio (a abarrotar...). Não tenho espaço para pendurar tanta roupa, mas que se lixe, havia de se arranjar. Pelo que com um estendal mais ou menos improvisado, e roupa mais ou menos por cima de outra roupa, a coisa lá se fez. Calorzinho bom!!!! Agora vem a parte dolorosa - passá-la! Ah, pois!!!

segunda-feira, 25 de abril de 2016

O silêncio

Para quem como eu vive diariamente numa cidade como Lisboa, que tem de levar com o barulho dos automóveis, das motas, dos aviões, das pessoas em geral, o silêncio do campo começa a ter outro sabor. Hoje não fui propriamente para o campo, mas sim para o rio, observar a riqueza das suas margens. Fomos até Escaroupim, fazer uma visita de barco pelo rio fora, observar as aves (imensas que por ali andam, vivem e se alimentam). Vimos cavalos numa das ilhotas, peixes a saltarem no rio, e aproveitámos o silêncio profundo que se consegue ter por ali. Só foi pena o barco que nos levava ter levado igualmente um grupo grande de pessoas com crianças que deu logo cabo do silêncio em mais de metade da viagem. Mas enfim, vicissitudes destes passeios não serem privados. Devo dizer que a empresa com a qual fizemos a viagem foi a Rio a Dentro, e o nosso comandante era simpaticíssimo, ajudou toda a gente a ver e a identificar as aves, tinha um jeito enorme para os miúdos, e acabou por ser uma grande ajuda para que a viagem corresse muito bem. Vale a pena uma experiência destas, e vale a pena também aproveitarem as iguarias do restaurante que lá está perto do cais (Escaroupim) que não se vão arrepender. 






quinta-feira, 21 de abril de 2016

O que eu gostava mesmo de saber....

Era o segredo da longevidade desta família.
A sua mãe morreu aos 104 anos e esta senhora, pela aparência e capacidades que ainda mantém aos 90 anos, deve chegar para aí aos 120. Também podem ser dos genes, é um facto. Mas palpita-me que há ali muita comidinha selecionada, exercício físico apropriado, horas de sono, etc, etc, etc.
Gostava de conhecer as suas rotinas diárias, as suas ementas, os seus rituais. Porque chegar a uma idade destas com esta qualidade de vida não é, infelizmente, para qualquer um. 


God Save the Queen!!!