segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Acidente do Meco e Praxes

Embora envolto ainda em grande mistério, tudo aponta para que a desgraça que aconteceu no meco uns dias antes do Natal, vitimando 5 jovens universitários, tenha sido o triste desfecho de uma noite de praxe.
Já há muito tempo que se fala dos usos e, principalmente, abusos das praxes universitárias. A confirmar-se este cenário, acho que as universidades deviam colocar de vez um ponto final nestas estúpidas histórias de gente que pode um dia abusar tanto do poder, ao ponto de não só humilhar, como matar um ser humano que, só por azar, entrou na universidade um ou dois anos depois. Também já fui caloira, também já fui praxada e também já praxei. A minha praxe não foi muito violenta, mas ainda assim um pouco humilhante.... e quando chegou a minha vez de praxar, não fiz mais do que falar em voz alta e tentar fazer testes de cultura aos recém-chegados alunos.
Mas isto tem de acabar. Porque cada vez há menos valores, cada vez há mais gente distorcida, e o abuso de poder exercido pelas pessoas erradas pode acabar muito mal.
Já não é a primeira vez que uma praxe acaba em desgraça. E, a confirmar-se este desfecho, espero bem que possa ser a gota que transborda o copo, para que seja a última.

Um comentário:

Francisco Bernardo disse...

Não sei se as praxes são boas ou más.
só sei que quem az faz são um bando de canalhada que precisa é de uns açoites no rabo.coisa que não levaram em pequenos.
E este cretino de sobrevivente que diz que prestará as informações em lugar devido...
Tem que as prestar é já,a toda a gente e principalmente á familia.
O raio do canalho ainda se permite decidir onde deve prestar as declarações!
uns tabefes bem dados é o que merece.