segunda-feira, 17 de março de 2014

Vidas modernas....

Este fim de semana fui almoçar ao McDonalds. Era uma refeição prometida já há algum tempo ao meu filho e, dado que só lá vamos para aí uma vez por ano (com sorte), não me importo de cometer este infortúnio na dieta, assim tão de tempos a tempos. Mas quando lá chegámos....J'asus! As filas eram tão grandes, tão grandes, que acho que toda a gente teve a mesma ideia que eu. Eram famílias inteiras a fazer o almoço de domigo ali, naquele antro norteamericano de fastfood. Novos e velhos, avós e netos, casais com filhos pequenos, com filhos assim assim ou com filhos maiores. Estava ali um local de encontro de famílias. Depois pus-me a pensar que, a não ser que tenham escolhido o mesmo dia que eu para a visita anual àquele restaurante, aquela pode mesmo ser uma rotina frequente para um almoço fora de casa. É que almoçar ou jantar fora, numa época como a que vivemos aos dias de hoje, não sai barato. Para uma família de 4, qualquer refeição média rondará os 50€, valor que dificilmente se consegue pagar com alguma frequência. E ali, por 2 happy meals e por 2 menus, paguei pouco mais e 16€. E toda a gente tem direito a ir almoçar fora de vez em quando, não é? Cortar a rotina, mudar de ares, não ter de fazer comida em casa..... enfim, dramas de uma vida moderna que tem tanto de compreensivo como de preocupante.

Um comentário:

acomidadavizinha disse...

Olá!
Eu continuo achar que estamos numa crise 'rica'...
É certo que com esta crise houve muitas famílias afectadas, existem muitas famílias (e eu tenho isso muito perto de mim) que precisam ajudas da igreja, da junta de freguesia para comer, para ajudar na renda de casa e isto afecta infelizmente muitas pessoas, pais e filhos...
No entanto, continua haver riqueza, continuam haver famílias inteiras a jantar fora em bons restaurantes, continua-se a comprar bons e novos carros, muitos continuam a gastar 100€ ou mais num par de sapatos e por aí fora...
Por isso a crise é relativa, existe como é óbvio, mas dentro da crise ainda existe muita riqueza...
Esta não é uma crise como houve no tempo dos meus pais e avós que queriam comer e não tinham MESMO, quanto mais para o resto...
Beijinhos***