quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Afinal sou uma sortuda

Esta minha visita a Paris fez-me ver as coisas (a minha vida), de uma outra perspectiva. 
Alugámos uma casa no lindíssimo bairro de Montmartre para nós os 4. Desde que temos filhos que evitamos os hotéis pela dificuldade em lá estarmos todos confortavelmente, e pelo preço que representam 2 quartos ou o não podermos fazer refeições em casa. Vai daí, esperava-nos uma casa fofinha, muito bem decorada mas... Minúscula. Um T0 para 4 pessoas, altamente rentabilizado em espaço. Mas adiante com a conversa... Passámos por uma imobiliária e vimos os preços das casas. Percebemos que uma casa como aquela em que vivemos em Lisboa, custaria em Paris 6 (seis) vezes mais, ou seja, seria impossível termos uma casa destas, pois também não acredito que conseguisse lá ganhar 6 vezes mais. Teria de viver na periferia numa casa mais pequena, andar de transportes todos os dias porque um carro em Paris tem um estacionamento muito difícil ( para não dizer impossível), e  o tempo disponível era capaz de ser pouco. No supermercado, os bifes de frango que comprei custaram 4 vezes mais, o salmão embalado custou o dobro, e os legumes tinham alguns com péssimo aspeto. Nada dos nossos Continentes ou Pingo Doces com a fruta e legumes de uma qualidade e aspeto sem qualquer mossa. Passei num mercado de rua com peixe fresco e não vi absolutamente nada a menos de 25€ o kilo. 
Conclusão: A vida em Paris é caríssima, e os ordenados não serão assim tão mais altos que os nossos. Talvez o dobro? O triplo, na loucura? Bom, o que sei é que neste cantinho à beira mar plantado, eu consigo viver em Lisboa numa casa de dimensões razoáveis, posso andar de carro para dar conforto aos meus filhos quando vão/vêm da escola, tenho bons produtos no supermercado a preços normais, consigo (ainda) ter emprego, há pouca violência, e um clima espetacular. Sou uma pessoa cheia de sorte e precisei sair para perceber isso. Posso estar algo enganada pois estive em Paris muito pouco tempo, mas lá que me deixou realmente a pensar, deixou. 
Aproveito ainda para dizer que o Sr. a quem aluguei a casa era um querido, deixou a casa, apesar de pequena, com todas as comodidades básicas (café, chá, manteiga, leite, água, sumo) de graça, e que a decoração era um mimo. Alugamos através do booking e recomendo vivamente. Chama-se Moulin Rouge Backstage, e aqui ficam algumas fotos. 

A nossa cama estava aqui enfiada nesta parede. 

A varandinha amorosa onde tomávamos o pequeno almoço e jantar. 

A sala

Um comentário:

Ana Rita disse...

Muito fofinho! Adorei a varandinha! :-)